Tips for men / Fashion world

ACNE. One of my favorite brands.

Hello world! Tenho sido "pressionada" por alguns membros do sexo masculino, para dar início a posts dedicados a eles. Não a esses membros, mas ao sexo masculino em geral. Desse modo, fixo-me numa das minhas marcas de eleição. Desta vez, com os meus itens favoritos da nova coleção Acne man. Uma biker jacket é essencial (ou deveria ser) no closet, como todos sabemos, e esta é combinada entre o couro e a lã. As camisas são outras das peças fundamentais, e a marca disponibiliza uma coleção de camisas azuis em algodão, de edição limitada, como podem ver aqui. E por fim, qualquer homem deveria ter peças clássicas, e com bons cortes. Na secção suiting é fácil de encontrar o clássico e o moderno juntos. Além destas peças, fiquei in love pelos sapatos, mas convido-vos a explorarem a secção dos mesmos!

Aproveito o momento, e a palavra pressão, para tocar no tema "moda e crise". Poderei estar maluca, depois de dar sugestões de peças relativamente caras, ao qual a mais acessível custa tanto como o "novo" salário mínimo nacional, menos uns trocos. Mas necessito tocar neste assunto, até porque nem todos estão no mesmo barco. Existem pessoas que em momento algum colocam a hipótese de um dia comprar uma peça deste valor, e existem outras que simplesmente preferem "passar fome" e receberem uma vez ou outra no seu closet uma peça de luxo. Sim, isto é luxo. É de conhecimento comum, de que atravessamos uma crise financeira gigante que infelizmente, não se vê o fim à vista. O fashion world também sofre com isto? Não me parece, nem tal coisa é visível a meus olhos, por vários motivos. As empresas não recuam nos objetivos, os princípios básicos da indústria são mantidos, as tendências acabam por se tornar generalistas, visto que o maior motivo é a economia mundial. Reparem que, cada vez mais se aposta nos básicos, pois uma das necessidades mais básicas do ser humano é proteger o corpo. Logo, aquelas marcas que ainda não têm um leque definido de clientes, não arriscam em padrões e tendências, porque correm o sério risco de ficar com bastante stock de estação para estação. Por outro lado, as marcas de luxo continuam a crescer fortemente, e as vendas aumentam e aumentam nos últimos meses. Basta andar atento pelas redes sociais para se ter conhecimento do crescimento. Eu confesso que muitas vezes me questiono como é que A,B ou C tem tanto poder de compra. Acredito que uns devem comer massa com massa para terem os últimos gadgets e as peças mais trendy do momento. Isto faz-me lembrar aquele povo que deixa os filhos com um pratinho de sopa em casa e vão investir o dinheiro em bilhetes para o jogo de futebol. Eu adoro e vibro com a modalidade, mas nestes últimos tempos nem tenho dado muita importância. Voltando ao raciocínio, eu acredito que é na aposta em classes sociais distintas que o sucesso se verifica. No entanto, continuo a dizer que as pessoas são vitimas desta indústria e colocam-se em crise pessoal para manterem uma determinada imagem. Penso sempre nas famosas litas do JC, quando toco neste assunto. É notável o "boom" de litas em circulação, e todos sabemos que não são propriamente acessíveis. Este tema, daria, sem dúvida, pano para muitas mangas, mas vou e devo ficar por aqui. Apenas, deixo a questão: Crise e moda, uma afeta a outra? 

Para aqueles que possuem um bom poder de compra e bom gosto, invistam em qualidade, e estas peças são apenas um exemplo disso.  Volto em breve, e não levem muito a peito o meu texto. A minha opinião vale o que vale. Bacci, IV *

FACEBOOK  /  BLOGLOVIN  /  TWITTER  /  LOOKBOOK  /  PINTEREST / FASHIOLISTA

9 comments:

  1. Concordo contigo. Se se pode e quer, invista-se em qualidade! As peças de roupa mais caras existem e é bom que haja poder de compra para as mesmas! É assim que se faz "andar" o mercado. Não acho escandaloso gastar-se muito dinheiro numa peça. Acho escandaloso se o dinheiro não tiver sido merecido como fruto do trabalho ou se, para a ter, se passe fome (como tu disseste). No entanto, a moda é das poucas indústrias que, mesmo em crise, dá lucro e MUITO lucro. E sabes o engraçado? Tenho um post preparado com o porquê de dar lucro quando as outras não dão =P Quando colocar o post no blog mando-te :) Estamos no mesmo mood, parece-me!

    ReplyDelete
  2. O casaco é lindíssimo!

    ReplyDelete
  3. Concordo contigo. Chega a fazer-me impressão como é que há pessoas que conseguem manter o nível de vida que tinham antes. Nós cá em casa (somos três mulheres, complicado :b), no início do ano, tendo em conta os cortes e o aumento do IVA, IRS etc etc, fizemos um acordo e impusemos um limite monetário de maneira a não gastar tanto dinheiro e até agora cumprimo-lo sempre! Ainda mais neste momento que vou para a faculdade e os custos são enormes... Se a crise afeta a moda? Afeta a moda da classe média no meu entender. Alta costura e as marcas mais caras, sem dúvida que para mim, não sentiram. Afinal, ao vermos as notícias vemos que os + ricos estão cada vez + ricos e os pobres,cada vez + pobres o que me deixa seriamente preocupada!
    (PS: És linda Iv :D) beijinhos :))*

    ReplyDelete
  4. gracias por las propuestas masculinas, todo genial pero la primera chaqueta es ♥

    ReplyDelete
  5. Eu sou da opinião que quem tem um emprego estável (tal como tinha antes) e ganha relativamente bem consegue ter um nível de vida até melhor que anteriormente, ora vejamos os empréstimos das casas estão "mais baratos" porque as taxas tem vindo a diminuir, muitas lojas como a Mango baixaram os preços para fazerem face à crise, ora quem ganha o mesmo e tem os mesmos gastos a vida pouco ou nada muda...
    Para quem deixa de ter emprego ou tem salários em atraso a coisa complica-se e aí corta-se com os gastos supérfluos ou então como dizes come-se massa com massa (eu costumo dizer feijão com arroz.. ahahahahha), mas mesmo antes desta crise já se fazia isso, quem não conhece casos de pessoas que simplesmente não comem fora de casa nem fazem um gasto extra para terem um bom carro, ou que nunca saem para lado nenhum para poderem ter aquela mala ou aqueles sapatos... Eu acho que para muita gente mudou muita coisa com esta crise mas também acho que há muita gente que ainda não sentiu os efeitos dela porque os gastos e entradas de dinheiro se mantém iguais ao que sempre foram...
    O grupo Inditez nunca facturou tanto como nos últimos tempos, mas as grandes marcas também continuam a ter grandes crescimentos, vai dando para todos ;)

    ReplyDelete
  6. Concordo contigo!
    É provável que a crise afecte a moda, mas também acho que a moda pode ser um escape para a crise, pelo menos para mim é :)

    XOXO
    http://fashion-mask.blogspot.com/

    ReplyDelete
  7. Eu cá tenho o bom gosto, falta-me é o poder de compra! Estou incluída no leque da classe média, aquela que está mais pobre. Aquela que mantém o mesmo emprego, com o mesmo ordenado, com as mesmas despesas fixas, mas que depois vê tudo a aumentar abruptamente. O Ortega é agora, creio, o 3º mais rico do mundo. Mas não me parece que seja porque a classe média compra mais! O que me parece é que as pessoas que podiam comprar roupinha melhor, e nem sequer estou a falar de luxos, agora começam a fazer contas à vida e percebem que o dinheiro não estica. Sem dúvida que a crise afeta a moda, pelo menos a minha!

    ReplyDelete
  8. As empresas com poder para tal mudam o seu marketing,para escoar os produtos existem 1001 descontos; marcas de preços menos convidativos à generalidade do consumidor apostam agora em peças mais em conta...Existe uma adaptação ao mercado e ao público alvo.As pessoas compram sim,há quem perca a cabeça e aí já é maluquice tendo em conta as consequências.Como o meu primo diz com a crise há quem fique mais rico do que já era.
    bjs
    P.S. gosto das escolhas das peças,os preços não que sou muito forreta para tal lol

    ReplyDelete
  9. aqui podes encontrar tudo da acne para homem!

    www.porvocacao.com

    fica na avenida da boavista no porto ;)

    ReplyDelete